Menu


CCV - Comunidade Corpo Vivo

Acolhendo as famílias

Os Filhos da Paz e a violência

06 MAR 2017
06 de Março de 2017

1. EXPOSIÇÃO (20 minutos)

Salmo 120.5-7: “Ai de mim, que vivo como estrangeiro em Meseque, que habito entre as tendas de Quedar! Tenho vivido tempo demais entre os que odeiam a paz. Sou um homem de paz; mas, ainda que eu fale de paz, eles só falam de guerra.”

Peregrinar é “andar por terras distantes”, “viajar” (vem do latim peregrinare). O salmista se declara um estrangeiro, como alguém que vive em Meseque, entre as tendas de Quedar. Todas as pessoas que servem ao Deus de Paz também são estrangeiras. Em Hebreus 11.13, o texto bíblico nos fala de muitas pessoas que, como nós, por confiarem na Promessa de Deus, “eram estrangeiros e peregrinos na terra”. 

A Bíblia nos chama de “peregrinos” porque não somos mais do mundo, somos do céu! Observe o que declara o apóstolo Paulo em Fp 3.20: “A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”. É por isso que nossa vida é uma “peregrinação”, porque estamos caminhando em direção a nossa “casa eterna”. 

O salmista, ao referir-se a estes dois lugares, afirma que as pessoas dali “odeiam a paz” e “só falam em guerra”. Você já reparou como o mundo que nos cerca é permeado de conflitos? Hoje o que mais chama atenção são os conflitos na Síria e os atentados provocados pelo Estado Islâmico. Todavia, mais perto de nós há as guerras de torcedores de times de futebol que se tratam como inimigos mortais, conflitos no trânsito, conflitos familiares. Estes são apenas exemplos, há muitíssimos outros – a sociedade do século XXI é muito violenta, mas, note que a violência é um problema realmente muito antigo.

Nós não somos cidadãos destes territórios de violência. O apóstolo Paulo escreveu aos Filipenses sobre o contraste da nossa forma de viver com a vida dos que não têm paz com Deus: “para que venham a tornar-se puros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração corrompida e depravada, na qual vocês brilham como estrelas no universo...” (Fp 2.15). 

Quedar, na Bíblia, é sinônimo de beduínos ou tribos árabes que habitavam em tendas no deserto. Meseque, refere-se a um povo guerreiro e ameaçador, mencionado especialmente em Ezequiel (32, 38 e 39). Meseque e Quedar representam o mundo onde vivemos. Onde há grades, muros altos, alarmes, segurança armada, assaltos, violência, prisões...

Eles só falam de guerra, porque são do mundo. Mas você, que é do céu, deve falar sempre da PAZ, do Evangelho da Paz. Aproveite cada oportunidade para lançar a semente. Há pessoas que estão cansadas e sobrecarregadas, desesperançadas com o mundo e que esperam por esta mensagem (Mt 11.28-30). 
Pregar a mensagem é a ação. A oração é MARANATA JESUS! Os cristãos do primeiro século usavam esta oração (I Co 15.22). É a oração de quem quer ir para casa e se encontrar logo com o Papai. 

Maranata, Jesus!

2. REFLEXÃO EM GRUPO (10 minutos)

Como você acha que pode influir para a paz numa sociedade violenta?

3. INDICADORES DE DISCIPULADO (5 minutos)

Líder, revise com os participantes da célula os 6 indicadores de discipulado: 

 1) A sós com o Mestre; 
 2) Viva na Palavra; 
 3) Ore com fé; 
 4) Comunhão com a igreja; 
 5) Testemunhe para o mundo; 
 6) Ministre aos outros.

Bispos  Antonio & Tally
Voltar

© Copyright - Todos os direitos reservados.

Corpo Vivo

Comunidade