Menu


Pastoreio efetivo – parte 1

19 OUT 2015
19 de Outubro de 2015


TEXTO: Esforça-te para saber bem como suas ovelhas estão, dê cuidados a atenção aos seus rebanhos, pois as riquezas não duram para sempre, e nada garante que a coroa passe de uma geração a outra. Quando o feno for retirado, surgirem novos brotos e o capim das colinas for colhido, os cordeiros lhe fornecerão roupa, e os bodes lhe renderão o preço de um campo. Haverá fartura de leite de cabra para alimentar você e sua família, e para sustentar as suas servas. (Pv 27.23-27)

INTRODUÇÃO

Vamos relembrar que, na CCV, o cuidado das vidas é uma atribuição compartilhada entre muitos, através do discipulado. Acreditamos que esse compartilhamento, quando assumido por toda a igreja e não somente por alguns, é o que torna o pastoreio de vidas realmente efetivo, gerando resultados para a vida eterna.

É necessário, portanto, desmistificar o pastoreio, ou seja, quebrar o que ainda resta da mentalidade que herdamos dos sistemas rígidos, que ainda hoje colocam sobre uma única pessoa, independente do nome que ela receba, o cuidado de todo o rebanho.

Pastorear não é uma atribuição somente daqueles que receberam uma investidura formal em uma cerimônia específica, antes, é um estilo de vida inerente, essencial, pertencente aqueles que já estão ao menos um passo à frente de alguém na caminhada do discipulado, e se dispõe a trazer para junto de si aquele que muitas vezes ainda nem começou a caminhar, mas deseja fazer isso!

Pastorear é uma atitude de aproximação e compaixão, que requer humildade e amor. Humildade, porque quem pastoreia o outro reconhece que está em processo de crescimento. Sabe que ainda não descobriu tudo e está aberto para continuar aprendendo e crescendo, inclusive com aquele que é pastoreado. De amor, porque o “pastor” sabe que sem seu cuidado as ovelhas, as vidas, elas se perderão rapidamente como presas fáceis deste mundo.

Não é algo fácil, mas, com certeza, quem já entendeu e adotou o pastoreio como estilo de vida, sabe que é glorioso, porque cuidar das ovelhas que nos foram confiadas pelo Senhor é um tremendo privilégio.

 DESENVOLVIMENTO

São diversos os textos bíblicos que nos auxiliam a entendermos a importância do trabalho pastoral junto ao Povo de Deus, dentre eles está Provérbios 27.23-27, onde encontramos uma palavra tremenda para os “pastores dos rebanhos de Deus”. Nesse texto estão cinco recomendações para um pastoreio efetivo que passamos a analisar a partir de agora.

1º Esforço para saber bem como estão as ovelhas. Provérbios 27:23a

Em II Reis 4.26, quando Geazi, servo de Eliseu perguntou a mulher sunamita: “está tudo bem com você? ”, a mulher que acabara de ver seu único filho morrer respondeu “está tudo bem”.

As ovelhas, por vezes, comportam-se como a mulher sunamita, pois, mesmo com o coração tomado de tristeza, indignação, desespero e outro sentimentos resultantes de um drama como aquele, eles dizem “está tudo bem”. Fazem isso por vergonha, medo de incomodar, timidez, orgulho, etc.

É preciso muito esforço ao pastorear para saber bem o que se passa com as ovelhas! Ao final de um processo de pastorado esse esforço se revela por demais compensador.

Este “esforço para saber” jamais deve ser confundido com uma atitude de querer obrigar as pessoas a falarem ou a exporem seus verdadeiros sentimentos. O constrangimento é uma das piores coisas que uma pessoa pode vivenciar e é geralmente traumatizante.

Em tempos de redes sociais, “esforço para saber” também não pode ser confundido com “pesquisas de perfis” daqueles a quem estamos pastoreando, isso só serve para complicar ainda mais a relação. Por incrível que pareça, as pessoas mesmo se expondo nas redes sociais, não toleram ser confrontadas com bases nesta exposição e fazem de tudo para se justificar. Por outro lado, elas costumam olhar com desconfiança quem utiliza as “pesquisas de perfis” nas redes sociais para em seguida confrontá-las com alguma coisa.

Dadas as devidas explicações, esse “esforço para saber” é na verdade uma observação cheia de empatia e saturada de amor, de maneira a despertar a confiança daquele que é pastoreado. Somente uma atmosfera empática e impregnada de amor e real interesse é capaz de criar um ambiente favorável a uma abertura para compartilhamentos mais profundos!

De grande ajuda nesse “esforço para saber” é o dom de DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS descrito em 1º Coríntios 12:10, que é uma revelação sobrenatural dada pelo Espírito Santo, para identificar ou discernir a natureza e o caráter dos espíritos: Humano, Satânico e Divino.

 

O DOM DE DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS é uma importante ferramenta para ser aplicado na comunhão íntima com Deus, na guerra contra Satanás e também no relacionamento com outras pessoas. Ele pode, inclusive, evitar conclusões precipitadas sobre os sentimentos envolvidos no cuidado pastoral e aumentar a capacidade de assertividade de quem pastoreia

 

Continua...

Bipos Antonio & Tally
Voltar

© Copyright - Todos os direitos reservados.

Corpo Vivo

Comunidade