Menu


Viva liberto da murmuração - Parte final

31 OUT 2016
31 de Outubro de 2016
1. EXPOSIÇÃO (20 minutos)
 
E o povo começou a reclamar a Moisés, dizendo: "Que beberemos? Êxodo 15:24

Vimos no estudo passado, que ao atravessar o Mar Vermelho o povo hebreu tinha na boca um novo louvor e uma nova dança. Todavia, após virem os egípcios sendo destruídos, experimentarem um grande livramento da parte de Deus e  caminharem por três dias no deserto, celebrando e dançando com alegria eles tiveram sede. 

Nesse momento vendo-se no deserto sem água, rapidamente esqueceram da alegria experimentada anteriormente. Eles começaram a murmurar por causa da sede e debaixo de toda aquela murmuração, encontraram um poço de águas amargas e desejaram até beber daquela água. Por causa da sede, houve murmuração contra Deus e contra Moisés. 

Nós já extraímos três lições dessa experiência para nossas vidas:

Primeira lição: a mesma boca que louva e adora a Deus pode ser a mesma que murmura. Você não pode adorar a Deus no domingo, com danças e cânticos e durante a semana entrar numa rota de murmuração.

Segunda lição: a murmuração torna a vida amarga. O povo não esperou Moisés buscar uma solução para encontrar água. Eles tomaram a iniciativa de irem até o poço e descobriram que as águas eram amargas. A murmuração destrói a vida de qualquer líder. Na precipitação, só encontramos águas amargas. 

Terceira lição: os atos proféticos são importantes: A árvore jogada nas águas. Moisés teve que fazer um ato profético para que aquelas águas se tornassem doces. O Senhor mandou que ele jogasse uma árvore nas águas para que o povo pudesse saciar a sua sede. 

As duas últimas lições são:

Quarta lição: a murmuração impede o povo de caminhar com o líder. Enquanto Moisés não fez os atos proféticos, o povo continuava com as águas amargas. Se nós não decidirmos caminhar com o líder, andando ao seu lado, vamos beber muita água amarga. Nosso líder não é infalível, mas foi escolhido por Deus para abençoar nossa vida. Não existia nenhum líder administrador como Moisés, que alimentou três milhões de pessoas, deu-lhes de beber, fê-las andar na sombra. Não há nenhuma ocasião em que o povo tenha se virado contra ele e não tenha sofrido com isso.

Quinta lição: a murmuração rouba a promessa. Todos os que murmuraram não entraram na terra prometida, foram tragados no deserto. Experimentaram de um grande milagre passando pelo meio do mar a pé enxuto, mas não alcançaram a promessa.

As águas de Mara eram um sinal. Elas representavam a vida daquele povo, pois eles eram amargos. Muitas vezes um povo, uma comunidade, uma família são tremendamente prejudicados por causa daqueles que estão dentro das fontes de Mara, jogando águas amargas nos outros. Precisamos dominar a língua e aprender que a murmuração nos paralisa no deserto, mas o louvor e a gratidão pelos milagres na nossa vida nos levam a grandes conquistas.

2. APLICANDO OS DONS ESPIRITUAIS (5 minutos)

OPERAÇÃO DE MILAGRES (OU MARAVILHAS)

Quem tem o dom de operar milagres, é capaz pelo poder de Deus de  intervir de forma  sobrenatural no curso usual da natureza, gerar algum  efeito ou produzir eventos no mundo físico que sejam capazes de contrair as chamadas "leis da natureza".

Exemplos: 

a) Mar Vermelho – Êxodo. 14:21
b) Paralisação do Sol – Josué 10:12-14 
c) Machado emergiu – II Reis 6:6
d) Tempestade – Mateus 8:26
e) Multiplicação de pães e peixes – João 6:5-14 
f) Lázaro – João 11:43

3. REFLEXÃO EM GRUPO (10 minutos)

De que forma a murmuração  pode tornar ainda mais difícil a relação familiar?

4. INDICADORES DE DISCIPULADO (5 minutos)

Líder, revise com os participantes da célula os 6 indicadores de discipulado: 

 1) A sós com o Mestre; 
 2) Viva na Palavra; 
 3) Ore com fé; 
 4) Comunhão com a igreja; 
 5) Testemunhe para o mundo; 
 6) Ministre aos outros.

Bispos  Antonio & Tally
Voltar

© Copyright - Todos os direitos reservados.

Corpo Vivo

Comunidade