Menu


Verdadeiros Adoradores - Parte final

12 JUL 2016
12 de Julho de 2016
1. EXPOSIÇÃO (20 minutos)

"Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem", (João 4: 23)

Depois de entendermos o que é adoração bíblica, nós partimos no estudo anterior para o entendimento sobre adorar a Deus “em espírito e em verdade”. Assim, vimos que primeiramente, adorar a Deus em “espírito e em verdade” é adorar em qualquer lugar. Deus é Espírito; assim, Ele não pode estar preso ou vinculado fisicamente a lugar algum. Deus está em todo lugar, e se Ele está em todo lugar, então ele pode ser adorado em todo lugar. Minha vida deve ser então um culto diário. Em segundo lugar, adorar a Deus em “espírito e em verdade” é adorar com o interior. Isto quer dizer que tal adoração nunca será a produção de aparências que não fazem sentido. Tudo que for produzido no exterior será o resultado do que está acontecendo primeiramente no interior do coração adorador!

Continuando, em terceiro lugar adorar a Deus “em espírito e em verdade” é adorar a partir de uma nova vida gerada pelo espírito santo. É necessário ser gerado de Deus, pois somente os nascidos do Espírito são espirituais e verdadeiros “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito” (João 3:6); "E nisto conhecemos que somos da verdade, e diante dele asseguraremos nossos corações" (1João 3:19).

Para adorar a Deus é necessário ao homem ser espiritual, e para ser espiritual é necessário ser nascido de Deus. Todo aquele que crê no Filho de Deus alcança a filiação divina (João 1:12), pois aos que creem é concedido poder para serem feitos filhos de Deus: verdadeiros e espirituais (Efésios 4:24).

Em quarto e último lugar, adorar a Deus “em espírito e em verdade” é adorar sem falsidade, sem hipocrisia, com o coração puro.

2. APLICANDO OS DONS ESPIRITUAIS (5 minutos)

DOM DE MISERICÓRDIA (Romanos 12:8). É a capacidade de empatia profunda pela qual ocorre a expressão da compaixão por aqueles que se encontram em situações difíceis, ainda que tenham falhado gravemente. Quem tem o dom de misericórdia nunca se colocará como juíz de seus irmãos, ao contrário disso, se mostrará sempre disposto para perdoar e confiante na restauração daqueles que estão em tais situações.

3. REFLEXÃO EM GRUPO (10 minutos)

Testemunhe sobre um momento especial seu de adoração a Deus.

4. INDICADORES DE DISCIPULADO (5 minutos)

Revise com os participantes da célula os 6 indicadores de discipulado:
1)    A sós com o Mestre;
2)    Viva na Palavra;
3)    Ore com fé;
4)    Comunhão com a igreja;
5)    Testemunhe para o mundo;
6)    Ministre aos outros.

Bispos Antonio & Tally

Versão para download e impressão
Voltar

© Copyright - Todos os direitos reservados.

Corpo Vivo

Comunidade